19.09.2018

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

REFORMA TRABALHISTA PIORA AS CONDIÇÕES DE TRABALHO E AUMENTA RISCOS DE ACIDENTES
28 de Abril é comemorado o dia mundial em memória das vítimas de acidentes de trabalho.
Luan Guedes
Da FESEMPRE, em Belo Horizonte - MG.


27/04/2018 • 19h09


Antonio Francisco da Silva (Sardinha)

 

No dia 28 de Abril é comemorado o dia mundial em memória das vítimas de acidentes de trabalho. Enquanto os patrões usam essa data para divulgar dados falsos de redução de acidentes de trabalho, a  “Reforma Trabalhista” piora as condições de trabalho e aumenta os riscos de acidentes.

 

No Brasil ocorre mais de 700 mil acidentes de trabalho por ano. Também morrem anualmente cerca de 2.500 trabalhadores acidentados. As doenças do trabalho atinge cerca de  16 mil trabalhadores por ano. Enquanto a “Reforma Trabalhista” garante ao patrão sugar 12 horas diárias trabalhadas, piorando as condições de saúde e de trabalho aumentando riscos de acidentes, a incidência de Acidentes de  trabalho atinge 33,05% dos trabalhadores na faixa de 20 anos e 36,78% na faixa de 29 anos e já somam 34,18% dos trabalhadores na faixa de 30 a 39  anos que adquiriram doenças do trabalho. A nossa fonte de energia, o jovem trabalhador, já está  comprometida. De 2007 a 2013, dos 5 milhões de trabalhadores  que foram acidentados  no Brasil, 45% deles estão fora  dos locais de trabalho por morte, invalidez permanente ou afastamento temporário. Somente neste período 19 mil trabalhadores perderam a vida.

 

Situações como esta, podem piorar ainda mais. Os acordos individuais, uma verdadeira sessão de Assédio Moral sem testemunhas, a perda de representatividade dos sindicatos e o fim da contribuição sindical, recurso que garante o funcionamento dos sindicatos é tudo que os patrões querem para aumentar seus lucros, explorando ainda mais os trabalhadores. O Brasil  ocupa o 4º lugar em acidentes de trabalho no mundo.

 

 

O  movimento que estão chamando de “Abril Verde”  se abordar apenas as questões técnicas de segurança do trabalho, que evita acidentes é uma responsabilidade apenas do trabalhador, mais uma vez será um movimento para os patrões manipularem dados, divulgando redução de acidentes de trabalho.

 

O “Abril Verde” não pode esconder a sobrecarga de trabalho, as péssimas condições  enfrentadas no ambiente de trabalho, o Assédio moral, as condições insalubres que agora atinge até a trabalhadora grávida e o aumento da jornada de trabalho.Precisam ser incluídos os dados dos servidores públicos e os trabalhadores informais. Discutir  as causas dos acidentes de trabalho abordando apenas uso inadequado de EPI’s e negligencia do trabalhador é manipular dados e esconder a principal causa que é o investimento  nas relações e nas condições de trabalho. O Brasil ocupa o 4º lugar em acidentes de trabalho perdendo apenas para China, Índia e Indonésia.

 

Porém,  esta colocação pode piorar se computarmos os verdadeiros dados, incluir os trabalhadores informais e os servidores públicos. No setor público, as áreas de saúde, segurança e educação, com a falta de investimentos no setor, piora muito as condições de trabalho e de saúde desses trabalhadores, que correm risco de vida  para educar, proteger e cuidar da saúde da população.

 

“O Sucesso de uma nação, depende das condições de vida e de trabalho daqueles que a constrói”

 

Antonio Francisco da Silva (Sardinha)

Servidor Aposentado da Prefeitura de Belo Horizonte

 

 

Federação Interestadual dos Servidores Públicos Municipais e Estaduais
Assessoria de Comunicação - (31) 3274-2427
Email: jornalismo@fesempre.org.br
Curta nossa fan page: facebook.com/fesempreoficial

  • Voltar

  •  

Parceiros
Rua da Bahia, 1148 - 16º andar - Centro - Belo Horizonte | MG - CEP 30160-906 - 31 32742427
©2010 | 2018 FESEMPRE. Todos os direitos reservados.