10.12.2018

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

ALAGOAS: SERJAL COBRA DO TJ PROVIDÊNCIAS SOBRE PROGRESSÕES DOS SERVIDORES
Sindicato deverá marcar assembleia para esclarecer matéria para a categoria.
Bruno Menezes
Da FESEMPRE, em Belo Horizonte - MG.


06/03/2018 • 10h02

Informações complementares:

Município: Maceió - AL


 

Um ofício/requerimento do Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário do Estado de Alagoas (Serjal) encaminhado ao Tribunal de Justiça do Estado de Alagoas (TJ-AL), na última sexta-feira (02), solicita a adoção de providências administrativas visando à implantação das devidas progressões/promoções dos servidores do Judiciário alagoano.

 

O requerimento tem como base o Acórdão do próprio TJ/AL, por meio da 2ª Câmara Cível, reconhecendo o referido direito desde a publicação da Lei 6.797/2007, do qual foi originado outro período aquisitivo na vigência da Lei nº 7.210/2010. O SERJAL explica, no requerimento, que com a absorção dessas leis anteriores (que eram os Planos de Cargos Carreira e Salários - PCCS) pela Lei n° 7.889/2017 (novo PCCR), consolidou-se, nesse meio tempo, aos servidores aptos a progressão um período aquisitivo de duas progressões verticais (três anos e dois anos).

 

O Serjal argumenta que a justificativa do TJ/AL para o não pagamento e aplicação das progressões - a falta de norma regulamentadora – foi superada por jurisprudência recente do referido Tribunal, que estabeleceu que a Lei n° 7.210/2010 já trazia em seu bojo todos os procedimentos necessários para concessão da progressão, sendo lei de eficácia plena, o que serviu de base para aplicação do que estabelecia o PCCS primordial (Lei nº 6.797/2007).

 

Em virtude do novo PCCR (Lei n° 7.889/2017), que estabeleceu mais regramentos de eficácia plena para a aplicação das progressões, há resguardo do direito do servidor com relação às omissões do TJ/AL em aplicar o desenvolvimento nas carreiras, especificamente com relação a não oferta de cursos e da falta de avaliação periódica de desempenho, o que não cria obstáculo para garantir o referido direito (art. 18, § 1º).

 

Dessa forma, o Serjal solicitou o relatório consubstanciado com indicação dos servidores aptos ao desenvolvimento da carreira, incluindo períodos aquisitivos desde a época da vigência da Lei 6.797/2007, cobrando a aplicação das progressões devidas, por meio de atos normativos.

 

Nesta oportunidade, o Serjal deixa claro que as ações judicializadas de progressão/promoção terão os devidos impulsos legais e, a depender do posicionamento do TJ com relação ao que foi solicitado administrativamente, instrumentalizar novas demandas judiciais, sempre visando buscar justiça em prol dos sindicalizados e de toda a categoria.

 

O Sindicato vislumbra a possibilidade de uma Assembleia Geral Extraordinária para tratar especificamente sobre a matéria, visando trazer esclarecimentos e a aprovação de novas medidas em relação ao assunto.

 

Fonte: Serjal

 

Federação Interestadual dos Servidores Públicos Municipais e Estaduais
Assessoria de Comunicação - (31) 3274-2427
Email: jornalismo@fesempre.org.br
Curta nossa fan page: facebook.com/fesempreoficial

  • Voltar

  •  

Parceiros
Rua da Bahia, 1148 - 16º andar - Centro - Belo Horizonte | MG - CEP 30160-906 - 31 32742427
©2010 | 2018 FESEMPRE. Todos os direitos reservados.