20.06.2018

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Posse da nova diretoria do SINDICON (Congonhas)

Num clima de espiritualidade que transpira Congonhas, Patrimônio Cultural da Humanidade, terra de religiosidade, arte e trabalho, presenciamos a posse da nova Diretoria do Sindicon, eleita democraticamente pelos seus filiados.

 

Sentimos uma sensação de paz envolvendo os poderes Executivo, Legislativo e o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais a partir dos discursos proferidos pelo ex-presidente Arnaldo, pelo Marcos Vicente, o Tico, presidente empossado, pelo Prefeito Cabido, referendado pelo advogado do Sindicon.

 

Pareceu-me que o Bom Jesus atendeu as aflições dos servidores após uma Via Crucis de problemas e sofrimentos, restando-nos admirar as telhas feitas nas coxas dos escravos, as eiras e beiras das casas coloniais.

 

Ao passar pelos profetas e os observarmos, imaginamos que eles também transpiravam segredos sobre os servidores impregnados de minério e de fé, muitos mutilados pelas injustiças de certas administrações (talvez querendo imitar o Mestre Aleijadinho em sua primeira obra em pedra sabão).

 

Tivemos a impressão de estarem nos alertando sobre a bela oratória do Senhor Cabido e perguntando se o concedido aos servidores não teria sido ajuste em cima de salários deveras defasado desde 2005, quando, segundo o próprio Prefeito, estava muito aquém da realidade merecida legalmente pelos servidores?

 

Não estariam os profetas também falando que as minas da Casa de Pedra e a Fábrica (ex-Patriótica), leia-se Vale, são grandes fontes de renda para a municipalidade e, portanto, poderiam os servidores participar do Plano Plurianual, da Lei de Diretrizes Orçamentárias,da LOA e adequarem os orçamentos para educação de qualidade, saúde melhorada, meio ambiente melhor preservado e salários dos servidores mais compatíveis com a riqueza da cidade?

 

Interessante que percebemos na comunicação entre os profetas Joel, Anaun, Habacuc, Ezequiel, Jeremias o vaticínio do fim dos tempos: o juízo final para os políticos corruptos e para os corruptores, para aqueles que poluem o meio ambiente e arruínam com as nascentes, para os malfeitores dos sindicatos e os traidores da cidade.

 

Daniel queria nos dizer que interpretou os sonhos dos servidores e decifrou as maracutaias de certos elementos; Oséias, Amós e Daruc dizendo que vão iluminar os caminhos da diretoria empossada para acompanhar os passos da Administração, de olho nas passagens de leis no Legislativo; Jonas parecendo afirmar que não vale a pena o servidor apenas cumprir o castigo de ficar retido, escondido nas entranhas dos prédios públicos sem participar das decisões importantes e influenciar nos resultados para a sustentabilidade.

 

À nova Diretoria empossada desejamos Fé Sempre!

 

Contem conosco.

 

Prof. Silvério do Prado,

Assessor Educacional da FESEMPRE

  • Voltar

  •  

Parceiros
Rua da Bahia, 1148 - 16º andar - Centro - Belo Horizonte | MG - CEP 30160-906 - 31 32742427
©2010 | 2017 FESEMPRE. Todos os direitos reservados.